22 de abr de 2011

Comum é amar

Um velho sábio, que experimentara todo tipo de coisa na vida, chegara na cidade causando grande estardalhaço. Requisitava uma grande reunião com jovens, solteiros, apaixonados, recém casados e outros indivíduos de ocupação e estado de espírito diversos.

Toda a cidade se reuniu na praça. "Vou dizer um segredo", iniciou. "Amar é muito para vocês...", continuou. Seguiu-se uma história fantástica, de como um suposto Deus iludira seus servos com algo denominado "amor", uma força para sustentar a servidão e a reprodução entre os indivíduos. "Isso que vocês acham belo ou lutam para manter, nada mais é que a própria dominação", esbravejou de maneira confiante.

A partir daí, inventou-se o ateu, a guerra e o divórcio.

18 de abr de 2011

Artesão de Mundos

O mesmo que lhe oferece conforte poderá ferir. Desde pessoas gentis que lhe farão mal quando conveniente, até objetos inanimados; um ventilador de teto que se desprende e fere pessoas distraídas em suas vidas. Movimentos circulares no ar, infinitas voltas, danos provavelmente irreparáveis e ciclos recomeçando e recomeçando.

A vida. Entendida como uma troca envolvendo dois lados, o que é conveniente e o que desprezado. No mundo, a conveniência é sublime e finita. Nada é bom por muito tempo, alguém diria. Talvez acabe de maneira errada ou já assim começa, ou quem sabe a cobrança por bem feitorias virá em dobro, triplo, tudo.

De fato, de santo o mundo nada tem.