6 de mai de 2011

Nota do dia II

Acabou o sentimento de troca e responsabilidade, denominado amor nas relações. Hoje a maré é de paixões, paixões diárias; raras as que capengam por anos. Culparia a "liquidez da modernidade", como eu ouvira outro dia, ou a monotonia do mundo e das suas relações. Mas o fato que é fato seria o seguinte: amor é investimento, volátil como dinheiro nas bolsas de valores. Grande investimento, para a alegria de quem obtém sucesso.