23 de jul de 2011

Momento sublime

Os momentos sublimes são presenciados por folhas banhadas em orvalho. Pois é nesse ambiente, fresco na meia luz, que entendemos o significado de calmaria e serenidade. Rara situação de esclarecimento.

Consiste na hora mais agradável no dia, em que as pessoas estão enterradas em suas camas e a natureza pode respirar calmamente e sozinha. Quase um momento secreto. O sol já é pela metade e pássaros surgem no céu azul negro, sinais da iminente quebra de cenário.

Quando os gritos das crianças, ao caminharem para a escola, e o som das cafeteiras, com seus cafés fumegantes, invadem o ar, as folhas já se encontram sequinhas. Assim, junto com o orvalho se foi tal momento sublime, especial por natureza e batizado como raridade de meditação.

21 de jul de 2011

Teoria matemática

Dizer que um copo está cheio pela metade, e somento isso, é arriscado e possivelmente entendido por mentira. Afinal, verdade absoluta, neste caso, é traduzida em números. Alguns milímetros ou metros cúbicos, especificamente. 

O total dividido por dois, entendido por metade. Objetividade irrefutável, certeza desprovida de receios. Confiança de caráter matemático.

Em um âmbito mais pessoal, de tão inconsistentes, (des)ocupadas ou preguiçosas que são certas pessoas, confiança tornou-se uma escassa ferramenta de credibilidade. Por tanto, confiabilidade é dádiva, melhor que presente surpresa de aniversário, aquele esperado e não realmente surpreendente, e todos os outros agrados. 

Então amores, grandes amizades e ótimos funcionários são indivíduos indispensáveis, raros e dificilmente descartáveis. Assim, entende-se uma certa acomodação da cobrança e culto da confiança. 

Leia-se como quiser nas entrelinhas, tudo isso pois as pessoas odeiam matemática.