24 de out de 2009

O Rei do Mundo

Esta será a história em que todos serão reis. Todos serão servidos quando quiserem e terão tudo o que desejarem. Toda mulher quer for cobiçada, toda comida que quiser apreciar. Toda moradia que sempre quisera, todo animal de estimação que sonhara. Tudo aquilo que um dia desejara fazer e nunca o fizera por algum motivo. Eis que a história começa dessa maneira e todos são felizes. Até certo momento, em que apesar de todos terem tudo o que desejam, também começaram a desejar o que é do outro. E a guerra pelos bens alheios começa e tudo o que era bom se transforma em motivo de discórdia, surge o desejo que destruir o semelhante. O dom de ter o que quiser agora era usado para destruir ou roubar o que era do próximo, a vida também era algo a temer. Desejavam agora poder bélico para competir com seus concorrentes, e o tinham - era preciso apenas desejar. O poder era ilimitado, um poder que um Deus erroneamente forneceu a uns estúpidos humanos. Não era suficiente ter tudo o que eles desejassem, era preciso ser o único a possuir tudo. Eis que essa sociedade se auto destruiu. Então, o castigo foi jogado para os sobreviventes, herdeiros da cobiça - o trabalho árduo proverá os bens materiais.

23 de out de 2009

É a vida! (3)

Era a arte a qual vinha de dentro das pessoas, isso era indubitável.
- Ainda por cima amenizo a superpulação mundial.
Também fora chamado de heroí.
- Tento escolher uns caras maus que andam fazendo cagadas pouco discretas.
Estava velho e cançado, porém o artista não podia parar.
- Terei tempo de sobra para dormir, após a morte.
Corpos desprovidos de sangue e membros eram empilhados em certos bairros residenciais.
- Ótimo adubo.
A família que um dia constituíra não fora encontrada nunca mais.
- Tornaram-se parte do meu acervo particular.
Fitas amarelas com detalhes em preto cercavam os locais de suas aparições.
- Verdadeiras galerias de artes.
Mãos sujas de vermelho e rastros de sangue.
- É o artista incorporando o espírito da coisa, meu caro.
Ferramentas toscas, aparelhagem um tanto que estranha.
- Instrumentos provedores de arte.
E a cena bizarra do processo de criação.
- Quando a idéia vem, ela vem com força.

22 de out de 2009

Blog para nós

Criamos blogs para nós mesmos. Verdade crua, talvez cruel ou já concebida. Por que criamos blogs para nós mesmos? Não desejaríamos que outros lessem nossas "besteiras"? Sim, desejamos. Mas a sombra por trás de tudo se revela como um espaço particular o qual escrevemos coisas de criação única, individual e particular, ou cópias (não façam isso) para que fiquem arquivadas por lá, como se fosse um arquivo nostálgico o qual, quase sempre, se desdobra em uma biblioteca virtual, a qual arquivará textos com uma pitada da percepção do autor acerca da vida real - experiências, sensações, desejos, sonhos e outros. Textos sempre me fascinaram. Adoro ler textos de autorias diversas, principalmente de conhecidos - você realmente descobre coisas surpreendentes acerca da pessoa. É claro que podem ocorrer interpretações equivocadas, mas na maioria das vezes dá certo. É, criamos blogs para nós mesmos... E ficamos felizes por isso, empolgados, auto-estima lá em cima. Definitivamente escrever sobre nós mesmos e sobre a vida é muito bom, relaxa e fascina. É uma auto-percepção de você mesmo. A melhor terapia psicológica, a cura para as enfermidades psíquicas, libertinagem dos monstros e dos medos. Escreva, pois é muito bom escrever - crie um blog para você mesmo.

Corujas

Definitivamente não sei o que algumas pessoas fazem em barzinhos durante certa hora da madrugada. Da minha conta não é, mas não é fácil deixar de pensar o que há de tão interessante em estar em um bar, bebendo umas amarelinhas, ouvindo um pagode bem antiguinho em plena segunda-feira. Nunca me imaginaria em tal situação, primeiramente que não assistiria aula alguma na mesma segunda poucas horas a frente (o que eu não desejaria que acontecesse) e em segundo lugar, odeio cerveja. Não estou criticando, afinal não posso criticar algo que nunca experimentei para saber se é bom ou ruim. Chuto que seja ruim para mim, para os outros não sei. (Grito?) "Todos aí embaixo que estão a beber, façam em silêncio por favor! Riam, brinquem, conversem em cinema mudo!". Dormir é tão bom quanto beber, creio. Talvez devesse descer com uma garrafa de guaraná e me juntar a eles, como diria o ditado. Na verdade nem me incomodo mais, incomodo-me demais. Os gritos já são meus amigos (companheiros) e aquela melodia "pagodiana" (nenhuma relação com Diana) também. O sono é outro amiguinho e quase me levando ele está, à loucura - pois dormir não consigo. Deveria pegar o travesseiro e.. Enfiar na boca de algum "mano" lá embaixo. Não! Colocar nos ouvidos, talvez... Colocar embaixo da cabeça seria bom demais, se eu pudesse dormir em paz.

21 de out de 2009

Três pontos de exclamação

! Um casal de cegos e uma criança.
! O pai carinhosamente acaricia o garoto e a mãe muito delicadamente e ,tão carinhosa quanto o pai, segura a criança no colo.
! Eis que quem tem algo a menos a seu favor trata seu semelhante muito melhor em comparação com àqueles que têm tudo a seu favor e que tratam com desdém seus semelhantes.

19 de out de 2009

Meu Sono

Há aqueles que vão dormir no chão, seja asfalto ou terra batida. Há aqueles que não não vão dormir, seja por insônia ou por falta de interesse. Há aqueles que não vão dormir, seja por fome ou por causa da guerra. Há aqueles que não vão dormir, seja por doença ou falta de uma acomodação confortável. Há aqueles que não vão dormir, seja por trabalho ou em auxílio do filho doente. Há aqueles que não vão dormir, seja pensando nas contas ou pensando em como ganhar dinheiro. Entretanto outros vão dormir, em acomodações confortáveis, com barrigas cheias e sorrisos nos rostos.

É a vida! (2)

Havia gostado de tudo o que executara e não se arrependera muito.
- Durmo durante a noite igual um bebê.
Executava os planos engenhosamente, de maneira que não fora descoberto por muitos anos. Decorou muitas casas com sua arte pouco comum.
- Não utilizo tinta vermelha, utilizo algo reaproveitável e biodegradável.
Chegou até a ser indicado para vários prêmios internacionais de arte, mas pelo fato se ser procurado pela polícia de vários países, ele não pode comparecer às cerimônias.
- Tudo graças a um bando de tiras que não entendem meu verdadeiro propósito.
Pensou até em se aposentar. Comprou uma choupana no norte da França, trocou de nome e até constituiu uma família.
- Foi por pouco tempo. Meu espírito artístico aflorou repentinamente. Fiquei feliz por voltar a fazer o que mais gostava.
Essa vida de arte proibida era tudo para ele. Nunca pensara em abandonar seu trabalho gratificante. Um dia, durante uma concepção artística, ele perdeu um dos braços. Não... Ele não se abateu.
- O acontecido abriu um novo horizonte para minha arte. Membros decepados tornaram-se uma preferência artística.

18 de out de 2009

Pequeno Publicitário

Pessoal! Desculpem-me por estar interrompendo o silêncio de sua viajem. Estou aqui oferecendo uma promoção sensacional. 5 paçocas da moreninha do rio por apenas 1 real, extremamente deliciosa. Tenho também jujuba natural, sabor natural da fruta, 4 por apenas 1 real. Também tenho a balinha super refrescante de eucalipto, super reconhecida no mercado, é boa para a garganta e para o mal hálito, 3 por apenas 1 real.

Após um breve silêncio, continuou:

- Aceito Mastercard, Visa, Dacasa, cheque pré-datado. A melhor forma de pagamento para os senhores.

Após vender vários produtos e com um pequeno sorriso no rosto, continuou:

- Pessoal! Muito obrigado pela atenção, tenham uma boa viagem, que Deus abençoe a todos e uma boooooa noite!