13 de nov de 2010

Sobre religião, texto e pessoas

Conhecer o outro consiste em sempre possuir uma parcialidade sobre sua personalidade. Pois, no coração de um cristão, o inesperado é esperado, a aceitação duvidosa e o perdão facultativo, com a possibilidade de ser obrigatório. Um questão relativa, potencialmente aplicada.

Assim, rimas em textos são musicais. Imprevisíveis como a atitude do outro, surpreendentes com o grande final. Talvez paradoxais.

Cíclico... pensei e lembrei. Na história tudo tende a se repetir. Apostaria nessa rotina do homem, pois a sinto na pele.

8 de nov de 2010

O Totem

Há tempos na estante, simbolizando algo relevante, um presente de alguém importante. Cheio de pó, partes despedaçadas ao chão, sujeira nas extremidades.

Caiu a confiança, seguida do interesse.  Desfalcada a figura tornou-se, mas os tempos bons ainda eram celebrados. Resistiu à tentação de desistir, com sucesso merecedor de inveja. É símbolo de vitória, entretanto, apesar do final indesejável.

O significado do símbolo, algo sobrenatural, quebrou-se. Da estante foi removido para uma atenção especial, ministrada com precisão. E, apesar e sem pesar, a confiança foi colada, acrescida do interesse. Pois o totem é símbolo de desejáveis épocas.