20 de mai de 2011

Nota do dia IV

Esta água, proveniente do céu, desperta rituais entre os cidadãos. Primeiro ruídos altos, nada rítmicos, de buzinas automotivas. Parece que alguém, de propósito, está obstruindo a passagem. Mentira! Todos querem chegar em casa. Mentira? Quem sabe uma espécie de atitude para matar o estresse, o apertar da buzina freneticamente? "Matar estresse a grito".

Outro ritual consiste em banhar o carro numa avenida alagada, que venham lama e veículos no prego. Nesse teste todos passam, obvio. E, claro, ninguém fica feliz por isso.

Por último, talvez uma ducha ao sair do veículo. Guarda-chuva para quem lembrou, saco na cabeça para aqueles que improvisam,  roupas molhadas para os que não encontram opções ou não ligam. 

17 de mai de 2011

Nota do dia III

Bonita? A lua sempre esteve linda, é que você nunca havia notado. Hoje seu espírito está elevado a uma instância mais sensível, em que a luz incidente é incômoda, porém, antes disso, sedutora. Tal estado propiciado por acontecimentos recentes, dos quais se há receio em se lembrar. Consequência de circunstâncias questionáveis.