31 de mar de 2011

Ritos rápidos I

Relevar a uma singela tranquilidade tal afeição é fato. Seu olhar assim o é. Como uma manhã nublada, nem quente como um dia ensolarado ou negra como a noite se revela. Simplesmente nublada, serena. Arriscaria dizer misteriosa.

28 de mar de 2011

Sorria, você não está sendo filmado

Ao lado, no banco de qualquer lugar, havia uma garota. Cabisbaixa, algo como que chateada, mãos atadas à bolsa, a qual contraía contra ao peito. "Ei, quem é você, porque está assim?". "O dia poderia ser pior", diria. Pois, explicaria, "o mau tenderia ao infinito, assim como uma teoria matemática financiada por áreas quadradas".

E como a tal matemática que não compreendo e com a qual não lembro de compartilhar facilidades, a feição cabisbaixa da moça continuava misteriosa. "Apenas aceite minha singela teoria". Diria mais, "pegue sua bolsa e vá tomar um sorvete". Eu até pagaria, sem compromisso ou intenção alguma. "Esfriar a cabeça", completaria.

Supondo um convite aceito e um rápido lanche, despediria-me dela com um sorriso meio forçado. Não sou pesquisador ou cientista, na verdade. "Mas, de fato, todas essas mazelas tendem ao infinito". Seu dia foi ótimo, sorria.