7 de abr de 2011

Moderna vitrine

Passa na rua, em uma escuridão noturna, certo ônibus refrigerado. As pessoas se sacudindo junto ao veículo, um vai e vem de corpos e partes metálicas. Avista-se algum revestimento de vidros embaçados, com gotículas de águas visíveis e sombras fundidas. Lembra um açougue, com suas peças de carnes geladas ao balanço de um recente manuseio do açougueiro.

É o chamado turno noturno. As peças deixam o veículo, dirigem-se aos seus destinos. A casa do chefe, de onde  se adquire sustento. Ali, todas são devoradas.

4 de abr de 2011

Ritos rápidos II

Duvido de toda esta didática empregada. Observo cada um mergulhado em seu próprio pensamento, em um ato egoísta. A partilha vem de poucos, e a discórdia de todos. Enquanto isso, sobra a mim relatar.